Mitologia do FaeVerso: Fadas do FaeVerso

Fadas do FaeVerso

No FaeVerso, fadas são criações diretas da Fae, assim sendo possuem acesso ao poder da Fae. Toda fada é imortal, mas podem ser aprisionadas, ou banidas por um certo período. O poder de uma fada não possui fim, porém pode ser drenado temporariamente. O seu poder é limitado somente pela sua ascensão.

As fadas possuem um ciclo de reencarnação. Se completarem seu desejo, então podem ascender para uma forma mais elevada. Suas lembranças passadas podem, ou não, tornarem-se obscuras, e algumas fadas talvez nunca se lembrarão de quem foram no passado.

Ao realizarem seu desejo, fadas ascendem para um estado de existência superior. Fadas, como outras criaturas Fae, existem em um domínio sagrado, reservado apenas para estes seres. Quando deixam este domínio, eles podem se tornar animas Fae, fadas, ou até mesmo outras formas mais misteriosas. O que uma criatura da Fae se torna é baseado somente em seu estado inato, e como trataram de seu destino inicial.

A forma mais básica de uma fada é o argueiro. Um argueiro de luz é uma criatura fundamental da Fae, uma que pode mover-se livremente entre os mundos do FaeVerso. Elas ajudarão outras criaturas quando ouvirem um chamado, mas, do contrário, não possuem ambição, e tem como desejo primário apenas explorar e brincar.

Quando uma fada ascende de um argueiro, elas tornam-se etéreas. Etéreas são fadas com um ponto de luz e asas. Sua cor e formato das asas dependem de sua afinidade elemental. Fadas etéreas são ou selvagens, ou de uma casta inferior na hierarquia das fadas.

Além das etéreas, existem as iluminadas. Estas fadas possuem um pequeno corpo, e asas. Elas são por muito chamadas de fadas “maiores”, e encontram-se normalmente em uma posição de poder, responsabilidade, ou autoridade.

Ainda mais alto na hierarquia existem as fadas imperianas. Fadas com um corpo maior, que podem esconder suas asas se assim desejarem, e se mesclarem aos outros povos dos mundos do FaeVerso. Fadas imperianas são extremamente raras, e quase nunca vistas, sendo que escondem sua natureza.

O texto original em inglês é de autoria de Brian Kramer, da Subsoap.
Interessados na mitologia podem se inscrever no boletim: Subsoap Newsletter.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s